Política de Fato

Aparecida: Vera enfrenta crise de autoridade em seu grupo; Jeane aguarda apoio dos Passos

Nunca uma campanha começou tão precoce em Aparecida como a de 2020.


12/08/2019 08:38 - Atualizado em 12/08/2019 09:52

Nunca uma campanha começou tão precoce em Aparecida como a de 2020. Faltando mais de um ano para o pleito o que mais se  comenta nas ruas, na imprensa e, sobretudo, nos bastidores é como cada grupo pretende se apresentar ao eleitorado. Entre comentários, especulações, tratativas e muita, muita conversa, o eleitor espera as definições para tomar a decisão.

Pelos lados da oposição a empresária Jeane da Farmácia permanece como o nome mais forte. Disputou as duas últimas eleições, assegurou um espólio político considerável e parece que é o nome a ser batido. Não por acaso, analistas e políticos experientes enxergam em Jeane o caminho mais curto para chegar ao poder. Até mesmo a prefeita Vera tem dado sinais que pretende conversar com sua antiga adversária. Seja por emissários ou pessoalmente Vera já externou seu desejo em discutir política e tentar pactuar uma futura composição. Silenciosa, Jeane não dá sinais se essa surpreendente pode se materializar. Mas como em política nada é impossível...

Mas Vera precisa urgentemente pacificar seus próprios aliados. Nos corredores da Prefeitura ou da Câmara e principalmente nos subterrâneos dos bastidores há movimentos constantes para tentar emplacar um nome à sucessão da atual prefeita aparecidense. Sem seu aval, Vera assiste à distância e cautelosa cada passo daqueles que ignoram sua autoridade e tentam diminuir sua história política. Na verdade, Vera não tem propriamente um céu de brigadeiro em seu agrupamento. Pelo contrário, é tempo de mar revolto. O "fogo amigo" é hoje a tônica dentro do grupo liderado por Vera. Tem muita gente querendo o cargo de prefeito e vice.

Um deles é o do ex-padre Douglas Gonçalves que tenta emplacar uma candidatura majoritária apoiado pela atual gestora. O problema é que Douglas não é unanimidade e suas ações criou a reação de um grupo de lideranças que preferem o nome de Clarinaldo Andrade, irmão do saudoso Antonio Andrade, e portanto, cunhado de Vera. Este subgrupo tem alardeado que vão pressionar Vera para indicar Clarinaldo e tentar manter o controle do município.

E Clarinaldo parece que gostou da proposta. Anda em eventos públicos, tem se reunido com estas lideranças e deve se declarar pré-candidato assim que consolidar os apoios externos que pretende ter.

Se Vera não se cuidar e prestar atenção em quem está ao seu redor vai tomar uma rasteira. Logo ela...

O certo é que Vera não possui uma “mão forte” para frear os ímpetos de seus aliados que já não temem a prefeita. Pior: ela enfrenta uma crise em seu próprio grupo e vê sua autoridade questionada em vários momentos. Resta saber se ela vai ceder ou se impôr.