Política de Fato

Carira: grupos tradicionais encurralados por novas lideranças

Editorial Política de Fato.


17/04/2020 09:53 - Atualizado em 17/04/2020 22:01

Há muito tempo os sobrenomes Chagas, Dutra e Machado dominam a cena política carirense. O revezamento que estas famílias fazem nas disputas eleitorais remonta à década de 80 e a cada disputa um personagem de um deste três troncos familiares, em lados distintos ou aliados, dominam a administração pública municipal.

O atual prefeito de Carira, Arodoaldo Chagas, cresceu vendo de perto a política à mesa: tanto sua mãe Maria Neuza Alves Chagas (im memorian), quanto seu pai Aroaldo Chagas (im memorian), administraram Carira nos idos de 1960, 1970 e 1980. Não satisfeito, Arodoaldo Chagas, também conhecido como Negão, já emplacou a mãe de seus filhos, a senhora Gilma Araújo Santos Chagas, que foi prefeita entre 2009 e 2012.

Em Carira Dutra também sinônimo de longevidade política já que um dos patriarcas, Antônio Dutra Sobrinho, foi o terceiro prefeito eleito de Carira. O último membro desta linhagem que ocupou a titularidade da chefia da prefeitura carirense foi José Augusto Dutra entre 1989 a 1992. Mas isto não diminui a importância dos Dutra nas composições e nas escolhas dos agrupamentos. Pelo contrário: esta família se assemelha a uma espécie de eminência parda sempre apta a aconselhar e colaborar com o grupo que escolhe apoiar.

Por fim, os Machado ganharam mais destaque a partir da década de 90 com a eleição de João Bosco Machado em 1992. De lá para cá, a polarização maior vem sendo entre os Machado e os Chagas. Tanto que nas eleições seguintes há um nítido rodízio nas vitórias e derrotas. Bosco Machado foi eleito e reeleito em 2000 e 2004 e elegeu seu filho Diogo Menezes Machado em 2012. Perdeu em 2016 justamente para seu mais ferrenho opositor, Arodoaldo Chagas.

Mas para 2020, há uma atmosfera propensa a mudanças que vem tirando o sono dos grupos tradicionais. Uma das novidades é a pré-candidatura do médico Robson Cardoso, que prefere ser chamado de Dr. Robson. Filiado ao PRB de Heleno Silva e pupilo de Luciano Bispo, o médico anda pelo município caracterizado com seu chapéu de couro, talvez um apelo visual para facilitar a comunicação com a população rural, e despachando nas casas das pessoas. Uma novidade, diga-se de passagem. O médico tem como companheiro de chapa o colega e ex-secretário de saúde, Dr. Leonel Blanco.

Incorporando o que vem se espalhando pelo Brasil como a 'Nova Política”, o jovem empresário e bacharel em Direito Sílvio Aragão, ou Júnior de Leonídia como é popularmente conhecido no município, não esconde seu desejo de administrar Carira e quebrar o monopólio dos políticos consolidados. Filiado ao Cidadania23, Júnior vem aglutinando apoios de dentro e de fora de Caria e vem causando baixas nos demais agrupamentos.

Outros nomes são especulados para destronar o tradicionalismo na política carirense: o empresário Eduardo Lima, na cidade chamado de Dudu da Soberana, e que até pouco tempo ensaiava uma pré-candidatura majoritária.

O certo é que o povo terá novas opções no próximo pleito municipal além dos sobrenomes que imperam desde o início do século passado.