Política de Fato

Encurralada? Vera vai ceder a pressão de aliados e deixar de indicar nome à sua sucessão?

Análise do Política de Fato.


28/06/2020 12:50 - Atualizado em 28/06/2020 13:33

Ninguém vence três eleições se não tiver liderança e nem senta por mais de 12 anos da cadeira de prefeita sem respaldo popular. Este é o caso de Vera Souza (MDB), atual prefeita de Nossa Senhora Aparecida, cujo capital político transpõe as fronteiras do município. Militante do MDB mulher e pessoa que goza da intimidade do ex-governador Jackson Barreto, seu mentor político, ela já tem sua trajetória registrada nos anais da história como a pessoa que mais tempo administrou sua terra.

Mas quem analisa o cenário político local percebe uma espécie de levante, dissidência e revolta de setores de seu agrupamento que querem porque quer ser voz ativa e indicar o sucessor da prefeita. Pessoa amena e sem afeição ao enfrentamento mais ríspido Vera tem respondido que o candidato sairá do MDB e no tempo certo se pronunciará. Mas isto não é o suficiente para acalmar o motim de alguns aliados.

Reunião paralelas e articulações à revelia da gestora ocorrem constantemente e o que seus eleitores e mesmo os que não costuma votar nela se perguntam é: “Vera vai ceder às pressões? Vai perder o comando e a liderança do grupo”?

Que ela sofra “ataques amenos” da oposição é até compreensível mas “fogo amigo” é algo novo na sua longa experiência partidária. Logo ela acostumada ao consenso, a ter o voto de minerva, a ser sempre quem tem a última palavra agora se vê “pressionada” a ter que “engolir”, decisões de arrumações que não foram pactuadas na residencia situada à rua Canindé ou em uma famosa fazendo situada na Rota do Sertão, locais onde que já sediaram importantes decisões do grupo situacionista aparecidense.

Justiça seja feita o único pré-candidato até agora que defende o legado da prefeita e vem se mostrando fidelíssimo, é o vereador Marquinhos Pereira. Na “live” promovida em suas redes sociais e em conversas, Marquinho tem dito que Vera sabe de sua intenção e por isto vem se preparando para a campanha futura.

O certo é que na política a ausência de comando faz surgir novos comandantes. Vera deixa a Prefeitura de Aparecida em dezembro deste ano e só ela sabe se vai tentar voltar em 2024 ou 2028. Com a palavra, sua excelência...