Política de Fato

Problema crônico da falta de água no Sertão: reestruturar, privatizar ou municipalizar abastecimento?

Em Sergipe, 71 dos 75 municípios do Estado o Serviço de Abastecimento de Água e Esgotamento Sanitário são prestados pela DESO.


16/04/2021 11:10

A população sertaneja sofre diariamente com abastecimento de água em suas residências. Relatos chocantes dos longos períodos sem água nas torneiras são relatados diariamente pelos moradores do sertão sergipano nas emissoras de rádio.

Em Sergipe, 71 dos 75 municípios do Estado o Serviço de Abastecimento de Água e Esgotamento Sanitário são prestados pela Companhia de Saneamento de Sergipe (Deso). Os municípios de Carmópolis, São Cristóvão (Sede), Capela e Estância possuem Serviços Autônomo de Água e Esgoto, não sendo, portanto, atendidos pela Deso.

Recentemente Itabaiana fez um estudo para municipalizar o abastecimento, a exemplo do que é feito nas outras 4 cidades do estado, porém recuou tendo em vista a dificuldade de fazer a transição. Tendo em vista que as cidades que possuem o abastecimento local nunca foram abastecidas pela DESO, mas é uma situação possível, caso o município decida substituir a Deso.

Uma outra alternativa seria a privatização, uma vez que a Deso atualmente tem como principal acionista o Governo do Estado de Sergipe, que detém 99% do total de ações. Com o exemplo bem sucedido da venda da Energipe muitos sergipanos defendem essa ideia. Porém, como ficaria a exploração do serviço em regiões que o prejuízo é maior que o lucro? Certamente haveria interesse para o abastecimento na Grande Aracaju, mas no Sertão? Além disso, afetaria diretamente diversos funcionários da estatal.

Reestruturar. Talvez essa fosse a melhor solução, com menos impactos negativos. O que observamos é uma falta de interesse político pelo principal público afetado: o sertanejo. Essa tese pode ser comprovada com a obra de duplicação da adutora que dura vários anos sem previsão de conclusão. Para uma possível restruturação necessita de financiamentos e emendas parlamentares e com a ausência desses recursos limita a sua prestação de serviço.

No Senado uma Proposta de Emenda à Constituição quer mudar essa realidade incluindo a água potável na lista de direitos fundamentais. A ideia é que o recurso esteja disponível em todo o país. 

Em Sergipe, além dos problemas da Deso muitas regiões ainda não possuem abastecimento de água potável. Um paliativo para os municípios são os serviços de abastecimento municipais por meio de poços artesianos, mas muitos preferem usar caminhões-pipas. Enfim, este é um problema que próximo Governo de Sergipe precisa resolver.