Política de Fato

Frei Paulo: Família Oliveira já escolheu nome para a disputa de 2020; Anderson Menezes articula reeleição nos bastidores

Editorial Política de Fato.


16/04/2020 09:33 - Atualizado em 16/04/2020 19:25

Depois de um longo período de predomínio no poder, a tradicional família Oliveira, capitaneada ora pelo patriarca José Arinaldo de Oliveira, ora pelo filho e sucedâneo José Arinaldo de Oliveira Filho, tenta se recompor da surpreendente derrota nas eleições municipais de 2016. Na oportunidade, Arinaldo Filho gozava de uma popularidade considerável, realizava uma gestão bastante elogiada e, talvez por vaidade, se deu ao direito de subestimar o grupo opositor. Os Oliveira apostaram na juventude do jovem Gabriel Oliveira, sobrinho do então prefeito, à época com apenas 22 anos mas saborearam o amargo gosto da derrota. O clã Oliveira perdeu a eleição por apenas 53 votos de diferença e até hoje não engole o revés.

O nome que deu fim a hegemonia de Zé Arinaldo foi o empresário itabaianense, radicado em Frei Paulo, Anderson Menezes, o Anderson de Zé das Canas. Com experiência no parlamento itabaianense, Anderson é um articulador nato e sabia de seu desafio. Trouxe para sua chapa Mércia Dantas, viúva do ex-prefeito Manoel Soares de Souza, e que representa o pólo antagônico aos Oliveira. O atual prefeito teve o apoio de Luciano Bispo, amigo de longas datas, e chegou à vitória através dos votos de 5.083 freipaulistanos, ou 50,26% dos votos válidos.

Para 2020 os dois grupos trabalham nos bastidores. É quase certa a reedição da chapa situacionista com Anderson e Mércia enquanto do lado oposto o nome de Gabriel Oliveira tende a ser substituído pela ex-primeira dama dona Dulcelina Modesto, e tem o empresário e pecuarista, Guga Paixão, como possível vice.

Dona Dulcelina, como é mais conhecida, está filiada ao Democratas, e é muito querida entre as parcelas sociais mais populares em decorrência do trabalho social que desenvolveu quando era primeira dama, na condição de vice-prefeita entre 2004 e 2008, e permanece realizando ainda hoje. É um nome forte e ainda que pese a sua idade, dona Dulcelina é uma espécie de fênix, um coringa no grupo político dos Oliveira.

Enquanto no grupo emedebista, Anderson articula silenciosa e meticulosamente para tentar garantir sua reeleição.